A importância da Formação

Seja nas ferramentas de gestão, no software de apoio à gestão ou na vida como um todo, estar atento e formado ajuda a enfrentar desafios.

O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade (Agostinho da Silva)

Fui conhecer a o centro de formação KLEVER Academy em Lisboa.

lever academy

Este centro de Formação Profissional abrange áreas de formação da Gestão e Negócios;  Marketing e Vendas; Informática; Administrativo etc., estando também a alargar os horizontes com cada vez mais especializações.

Em breve novidades. Consultor de gestão que é consultor, está atento também à formação 🙂

Obrigado por ler.

Aumento do valor do Salário Mínimo Nacional para 635 euros

Fonte: PHC Software Foto: DepositPhotos

THINGS TO DO red Rubber Stamp over a white background.

O decreto lei publicado a 21 de Novembro de 2019, prevê a actualização do valor da retribuição mínima mensal garantida para 635€, cuja entrada em vigor será a partir de 1 de janeiro de 2020.

O Programa do XXII Governo Constitucional prevê o aprofundamento da trajectória plurianual de actualização real do salário mínimo nacional, de forma sustentada para que em cada ano possa haver uma evolução em função da dinâmica do emprego e do crescimento económico, sendo que o objetivo é atingir os 750€ em 2023

Informa-se agora que esta alteração terá implicações no PHC CS Pessoal Desktop, no que concerne ao valor da retribuição mínima mensal garantida, registada na Ficha Completa da Empresa. Por este motivo, deverá proceder à atualização deste campo nas bases de dados dos clientes, antes do processamento dos vencimentos respeitantes ao mês de janeiro de 2020.

Não será feita qualquer alteração ao nível da  aplicação por parte da Software house, PHC.

Obrigado por ler!

Caso de sucesso : PHC na Cloud em empresa de construção

Um “caso de Sucesso” de modernização do software PHC e infraestrutura em datacenter e cloud.

O cliente de Lisboa, uma empresa de sucesso na área da construção, melhorou significativamente a sua produtividade com a actualização da sua infraestrutura e consequentemente o acesso ao seu software de gestão PHC.

O primeiro passo foi o licenciamento do PHC em modelo de subscrição, com migração para a versão mais recente da aplicação.

A base de dados foi colocada num servidor em datacenter em que o acesso é limitado para o IP do cliente através das regras de firewall.

Nesta fase não existe a necessidade de instalação de VPN atendendo ao fato do acesso ao PHC ser feito somente pela sede e assim o ambiente é controlado e seguro através das regras do Edge Gateway do Datacenter.

Os postos tem a versão cliente – servidor instalado localmente nos seus computadores verificando-se uma melhoria significativa nos tempos de acesso à aplicação.

O PHC num data center com acesso seguro

O acesso pelo exterior ao software de gestão, foi conseguido através do CS Web utilizando para o efeito um certificado SSL mantendo assim um acesso seguro e encriptado (além da camada de segurança e permissões dos logins).  O PHC CS Web está a ser executado no servidor do Data Center que tem um IP Fixo e uma disponibilidade total e centralizada.

Com esta forma de trabalharmos com o PHC não tivemos necessidade de investir em servidores físicos no escritório. Diminuímos os custos de electricidade, necessidade de comprar UPS, unidades de backup ou preocupações com acessos dispendiosos à Internet. Os elementos da Engenharia acedem confortavelmente aos dossiers de Obra através dos seus tablets e a área administrativa gere todo o trabalho de gestão de contas correntes, pagamentos e facturação como fazia anteriormente no CS Desktop. Se exstir um problema com a nossa internet do escritório, a mesma área administrativa pode continuar a trabalhar através da Web com uma ligação 4G, realça o CEO da empresa.

Os emails, a gestão de projeto e os ficheiros centralizados:

Até à data e antes desta solução, existia uma diversificação não organizada das licenças de Office. Existiam problemas com o espaço dos emails, os documentos somente estavam disponíveis no escritório e a forma de aceder estava dependente do Outlook e dos arquivos guardados localmente.

Para resolver e melhorar a vertente de comunicação, solidificou-se a solução de gestão de email e ficheiros com o Office 365.

Agora todos os utilizadores tem uma conta, existem listas de distribuição, arquivo de email e não há mais a necessidade de procuras exaustivas em ficheiro offline de PST’s.

O Backup offline na Cloud:

Para partilha de ficheiros dentro da organização, esta empresa de construção já utiliza uma NAS (Network-Attached Storage) que permite a partilha eficaz e integrada com a Active Directory de ficheiros.

Numa politica de melhoria de segurança nomeadamente no que diz respeito aos efeitos maliciosos da encriptação de dados, foi implementada uma solução simples de Backup remoto para a cloud em Microsoft Azure. Este backup diário tem taxas de retenção sendo que caso o ultimo backup seja “contaminado” é sempre possível recuperar uma ultima versão dos dados.

 

Faturação Eletrónica : Atualização

Considerando e apoiando-me na recente publicação do Decreto-Lei n.º 123/2018 no passado dia 28 de Dezembro, existem algumas considerações que devem ser tomadas em conta no que diz respeito à obrigatoriedade de emissão de faturação eletrónica.

No seguimento do post colocado anteriormente relativo à obrigatoriedade legal da faturação eletrónica para o Estado (Contratação Pública) e que entraria em vigor no dia 1 de Janeiro de 2019,  foi adiada.

Assim sendo:

Entidades Publicas e Estado:

  1. Os institutos públicos serão obrigados a poder receber de outras entidades e a partir de 18 de abril de 2019, faturas eletrónicas;
  2. As regiões autónomas, autarquias locais e outros, tem uma obrigatoriedade de poder receber estes documentos somente a partir de 18 de abril de 2020;

Relativamente as empresas cocontratantes empresas que faturam ao estado e organismos públicos:

  1. A partir de 18 de abril de 2019 a data em que o estado será “obrigado” a receber, as empresas poderão emitir faturação eletrónica aos organismos públicos que estejam obrigados a receber;
  2. As grandes empresas serão obrigadas a emitir faturas eletrónicas para os organismos públicos a partir de 18 de abril de 2020;
  3. As micro, pequenas e médias empresas são obrigadas a emitir faturas eletrónicas para os organismos públicos a partir de 01 de janeiro de 2021;

Com a leitura deste decreto verifica-se que o estado determinou uma entidade que será responsável pela definição dos requisitos técnicos, a eSPap (Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P.).

Obrigado por ler !

Contratos Públicos. Mais sobre a faturação eletrónica

Já saiu ! No meu anterior post sobre a Implementação da faturação eletrónica nos contratos públicos e aquando da publicação em Diário da República, fiquei a aguardar por mais informações.

Essa informação está disponível no dia de hoje pelo Decreto-Lei n.º 123/2018 foi visto e aprovado em Conselho de Ministros.

O presente decreto-lei produz efeitos a 1 de janeiro de 2019 sendo que estabelece prazos e critérios para a faturação eletrónica a contraentes públicos.

Recomendo obviamente uma leitura mais detalhada do artigo no entanto existem alguns pontos previsíveis que interessa salientar de forma sucinta:

A implementação da faturação eletrónica em Portugal assume-se como um programa de transformação digital, processual e funcional, assente na normalização, otimização e automatização (…)

Este é ponto da questão. Nos dias de hoje não faz sentido a materialização das faturas em papel, seja para o estado ou para os privados.

Tratando-se de um formato eletrónico desmaterializado, alarga-se a possibilidade de automatização de processos (…)

  • A partir de 18 de abril de 2019, a receber e a processar faturas eletrónicas;
  • O prazo referido no número anterior é alargado até 18 de abril de 2020 para os contraentes públicos;
  • O prazo referido no número anterior é alargado até 31 de dezembro de 2020 para as micro, pequenas e médias empresas;

Relativamente aos software de gestão os mesmos vão-se adaptar pelo que haverá muitas novidades durante o inicio do ano sobre este assunto nem que seja pela oportunidade de manter as aplicações atualizadas.

Obrigado por ler.

Preciso de um consultor de SEO ?

Enquanto consultor de sistemas de informação e gestão, nos dias de hoje a importância de uma presença sólida e efetiva na Internet é importantíssimo.

Não ter um website institucional é a mesma coisa do que não ter um telefone ou um email para contatar.
Se temos uma empresa e um negócio, queremos que este esteja com a maior visibilidade possível e a Internet é um meio que toda a gente usa.

Estive a analisar este meu blog numa das ferramentas que mais gosto de usar, o Google Analytics.
Esta é uma ferramenta de extrema utilidade para uma estratégia de SEO, aquela que devemos seguir para uma boa optimização dos nossos sites e blogs nos motores de busca.

Este meu Post foi então motivado pela analise de pesquisas que as pessoas fazem e aí chegam ao meu blog.
Pude verificar que muitos que aqui chegaram e obrigado para si que chegou ao blog desta forma e ainda por cima se deu ao trabalho de clicar, foi pela pesquisa no Google por consultor SEO.

Muito bom sinal ! É sinal que as pessoas, empresários e até gestores já se deram conta da importância de uma estratégia de SEO.

Nesta mesma pesquisa, verifiquei também que há muita promoção sobre este assunto que quanto a mim, é uma forma menos séria de se abordar este tema.
Como uma boa estratégia de marketing, o SEO ( Search Engine Optimizer ) tem de ter um plano e deve ser consistente. Deve defender uma ideia, mensagem e até posicionamento seja de um produto, marca ou serviço.

Não existem almoços grátis como alguém diz.

Nas redes sociais por exemplo, local onde somos bombardeados com publicidade sem o dizer que o é (vejamos o artigo 13), muito se promove os “likes” e seguidores fáceis.
Basta pagar a uma empresa guru para que isto aconteça o que não é de todo uma verdade.

“Um consultor SEO fará com que o website da sua empresa esteja mais visível nos motores de pesquisa.” – Já li eu por aí.

Permito-me dizer que um consultor ajudará na estratégia de SEO utilizando algumas ferramentas (já falei numa delas para monitorizar), orientando os conteúdos e até registando e fazendo algum trabalho nas redes sociais mas como em tudo, não há uma varinha mágica para o ranking de um website nos motores de busca.

Nem mesmo a pagar publicidade por exemplo no Google é uma garantia de um bom posicionamento nos motores de busca.
Em tempos e num dos meus percursos profissionais, o diretor de negócio irritava-se porque tinha pago Google Ads e quando pesquisava no motor de busca, o site não estava em primeiro.

Mais uma vez tudo isto faz parte de uma estratégia de imagem, marketing e fundamentalmente de conteúdo.

O conteúdo é a chave principal do SEO.

Nos últimos tempos, muito se fala em Marketing de conteúdo mas este não pode ser feito por quem não conhece o negócio ou a área onde estamos a trabalhar.
O Google por exemplo, tem um “apetite” por conteúdo novo e original, é um voraz no que diz respeito ao que de novo se fala sobre um determinado assunto pelo que na minha opinião, um consultor de SEO pode ajudar mas não resolve todas as questões.

Vejamos por exemplo o assunto Software de Gestão (área que tenho como sabe) um especial carinho 😊
Como um tal consultor de SEO ou uma empresa de promoção de websites vai criar conteúdo sobre este assunto se não o conhece ?

O conteúdo é de dentro para fora.
As empresas; os gestores; os negócios tem de gerar conteúdo interessante mas que seja lido e seja cativador.

Federação Portuguesa de Futebol

Tem de motivar a leitura e o consumo de conteúdo das pessoas.
A Internet são pessoas e as empresas também – frase eleita por mim para este ano de 2019.

Obrigado por ler.

Implementação da faturação eletrónica nos contratos público

Comunicado do Conselho de Ministros de 20 de dezembro de 2018

Ponto 13: Foi aprovado o decreto-lei que define o modelo de governação para a implementação da faturação eletrónica nos contratos públicos.

A implementação da faturação eletrónica em Portugal assume-se como um programa de transformação digital, processual e funcional assente na normalização, otimização e automatização processual do ciclo da despesa e do ciclo da receita, promovendo a agilização e desmaterialização do relacionamento existente entre as entidades públicas, e destas com os agentes económicos privados. Reduz-se os prazos de pagamento, os custos de operação e de transação e garante-se maior fiabilidade e transparência em todas as atividades do processo.

Fonte: Comunicado do Conselho de Ministros

Neste momento as software house estão a aguardar a publicação em Diário da República, de modo a analisar se as alterações efetuadas na ultimas versões de software, sustentadas pelo Decreto-Lei n.º 111-B/2017, de 31 de agosto de 2018, correspondem ao que é esperado na lei.

Aquando da publicação em Diário da República, aguardo por mais informações.

Entretanto, com alguma pesquisa sobre o assunto já se pode verificar que alguns players estão a insistir no assunto mesmo sem a regulamentação aguardada:

Fonte da Imagem e direitos: PHC Software

  • Fatura Eletrónica na Administração Pública – Em Portugal, a partir de 1 de Janeiro de 2019, todas as empresas fornecedoras de bens e serviços à Administração Pública, serão obrigadas a adotar a fatura eletrónica, de acordo com as normas europeias definidas para o processamento de faturas (Decreto de lei nº111-B/2017).
  • Faturação Eletrónica na Administração Pública – A nova diretiva entra em vigor dia 1 de janeiro de 2018, mas não é aplicável às faturas eletrónicas emitidas como resultado da execução de contratos declarados secretos ou que devam ser acompanhados de medidas especiais de segurança.
  • Fatura eletrónica disponível nas soluções PRIMAVERA : Se é fornecedor do Estado e gere o seu negócio com as soluções PRIMAVERA, temos disponíveis as ferramentas de que necessita para cumprir a legislação. Aliás, esse é sempre o nosso compromisso – auxiliar as empresas no cumprimento simples, atempado e contínuo das suas obrigações fiscais.
Bitnami